19 de abril de 2005

Tentando, ou, quase conseguindo

Pois é.....estou no maior papo viajante aqui....tenho pensado em escrever todos os dias....pensado, até cheguei a abrir o post, mas não deu nenhuma das outras quatro vezes....tempo, tempo, tempo, mano véio......
E hoje, o dia é improvável, a hora é completamente imprópria e eu estou aqui, com a saco completamente cheio e sem vontade nenhuma de pensar em cliente que tenho que atender e nos que tenho que captar.....com muita vontade de ir para casa assistir televisão e fazer tricô.
Acho até que é exatamente por isso.....uma amiga minha está com uma máquina nova de tricô e eu fiquei pensando seriamente que vou começar a separar algumas peças para vender.....afinal, minhas peças são boas e bem tecidas...
É isso.

13 de abril de 2005

CÍRCULO DE GAIA

A Organização Não Governamental Mulheres de Gaia, vem propor à todas as mulheres o conceito de círculos como um processo de aprendizagem e compartilhamento de experiências para um despertar de potenciais,laços de amizade, valorização da auto-estima e momentos de descontração.Os círculos encorajam a conexão e a cooperação entre seus membros e inspiram soluções compassivas para problemas individuais,comunitários e globais. Nós acreditamos que os círculos estimulam cada participante a desenvolver suas habilidades e potencialidades,ao mesmo tempo que fortalecem o princípio da mudança de consciência do mundo, cultivando a sustentabilidade, igualdade e preservação da terra e paz mundial.Venha participar de mais um Círculo de Gaia, convide sua mãe, amiga,tia, filha, vizinha, colega... todas as mulheres, de todas as idades, são bem-vindas!As que quiserem participar com um canto, poesia, fazendo tricot ou qualquer outra atividade, fiquem à vontade.Outras informações:
joanajulia@hotmail.com
abraços e até lá!

CERTEZAS

Você pode ter certeza de três coisas:
- você nasce
- você morre
- as coisas mudam.

assim já cantava Mercedes Sosa......cambia, todo cambia.

8 de abril de 2005

O Rio da Vida

Em tempos o povo viveu ao longo das margens do rio da vida.
O rio da vida é um rio de água doce, que acorda as sementes da
primavera e alimenta todas as coisas que crescem.
O rio da vida é um vento de tempestade, soprando fresco através
da terra.
O rio da vida é o derretido fogo profundo que agita os
continentes.
E as pessoas deviam ter tido tudo de que necessitavam para a
felicidade e a alegria, mas foram flageladas por um monstro
terrível, o monstro de três cabeças da Ganância, do Ódio e da
Guerra.
A ganância sugou todas as cores da vida e trancou-as dentro da
sua fortaleza.
O ódio segou as linhas do amor e ensinou as pessoas a temer-se
umas às outras.
A guerra ameaçou de destruição a qualquer um que se opusesse à
regra do monstro.
E as pessoas ficaram separadas e receosas e pobres.
As linhas de conexão foram gastas.
A trama do cuidado desfeita.
E a guerra tomou os jovens e marchou com eles por ali fora para
matar e morrer em lugares
distantes.
A ganância roubou-lhes o futuro...
O rio da vida secou.
As mulheres viram as nascentes tornadas estéreis, os rebentos
novos falhar, as árvores morrer e os montes tornar-se castanhos.
E choraram e gemeram e não souberam o que fazer.
As mulheres também foram divididas, porque algumas tiveram mais
e algumas tiveram menos.
Feridas velhas e injustiças actuais mantiveram-nas separadas.
Mas quando a Guerra agitou o punho e ameaçou desencadear armas
para destruir a terra,
As mulheres voltaram-se umas para as outras e disseram: "nós
somos farrapos duma tela rasgada, mas se os juntarmos,
Podemos ligar feridas, secar lágrimas,
Tecer uma rede para carregar cargas pesadas."
"Nós devemos amplificar o amor e deitar fora o desgosto,
Tomar o nosso poder de volta e fiar uma linha,
uma linha da vida presa nas nossas mãos fortes,
uma trama viva de costas brilhantes."
"E as nossas mãos lembram-se de como fiar.
Fiamos a liberdade no vento que se levanta,
Fiamos as correias da vida, as cordas do destino,
Fiamos o amor num rio que possa atropelar o ódio, "
"Fiamos a justiça a arder como uma estrela flamejante,
Fiamos a paz num rio que possa vencer a guerra.

E se queres saber onde está o verdadeiro poder,
volta-te e olha nos olhos das tuas irmãs."
"Assim, venham, mães e avós,
Amantes e filhas,
Venham louc@s e tecel@s,
Ferreir@s , oleir@s,
Dançarin@s e sonhador@s,
Biscateir@s e mudador@s,
Cantor@s e gritantes,
Esqueçam todos os perigos,
Venham antepassados, guardi@s, Deusas também,
Vocês que nos ensinam, vocês que falam verdade,
Vocês que plantam e você que colhem,
Vocês que sobrevoam e vocês que rastejam,
Vocês que cozinham e vocês que tocam tambor,
Vocês que foram e você que estão para ser,
Vocês que lutam com a espada,
Vocês que lutam com a pena,
Mulheres irracionais,
Homens ingovernáveis,
Venham harpias e banshees e gorgonas e Bruxas,
Venham corações docemente amantes e cadelas furiosas!"
"Quebrem as correntes que nos tiveram amarrados,
Teçam uma correia para puxar abaixo o monstro.
Face à verdade, nenhuma mentira pode aguentar,
Teçam a visão, de costa a costa."
"Nós somos água doce, nós somos a semente,
Nós somos o vento da tempestade para varrer a ganância.
Nós somos o mundo novo que fazemos nascer,
O rio que se levanta para reclamar a terra."

Starhawk

7 de abril de 2005